em
cartaz

respeitável público blog

TEATRO

Peça Oju Orum faz única apresentação no CAC

 

O espetáculo OjuOrum, do Coletivo Quizumba de São Paulo, faz única apresentação nesse sábado (29/04), às 19h, no CAC Walmor Chagas (rua Netuno, 41, Jardim da Granja), em São José dos Campos. A apresentação é gratuita e a classificação indicativa é de 14 anos.

Com apoio do PROAC – Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo, OjuOrum apresenta histórias de quatro jovens mulheres, em espaços e tempos distintos e simultâneos: Anastácia (OjuOrum), Alice, Alzira e Anita.  Caladas em suas falas e corpos, essas mulheres procuram retomar a voz que lhes permita questionar e ressignificar suas vidas.

O espetáculo leva para cena a discussão de temas como violência contra mulheres, questões de gênero, sexualidade, relações familiares e amor.

Construído a partir de três eixos: o mito de Anastácia; o material colhido em oficinas realizadas com mulheres do bairro do Jabaquara, zona sul de São Paulo; e investigações da história das mulheres no Brasil, o texto da peça aborda a historicidade do conceito de feminino, do ser mulher, da construção de gênero e as questões surgidas a partir destes discursos. Tendo sempre em vista o público com o qual desejamos dialogar, as personagens tem relação direta com aspectos da juventude e da adolescência.

OjuOrum é o terceiro espetáculo do Coletivo Quizumba, fundado em 2008 por artistas e educadores formados pelo Instituto de Artes da UNESP, Escola Livre de Teatro de Santo André e SP Escola de Teatro, com a proposta de estudar, debater e realizar ações artísticas que provoquem o agir/refletir sobre questões estéticas e políticas do mundo contemporâneo, com foco no estudo da historiografia e da formação cultural do Brasil e nos símbolos das culturas africanas e afro-brasileiras.

SERVIÇO:

DATA: 29 DE ABRIL DE 2017 | sábado | 19h

LOCAL: CAC Walmor Chagas – Rua Netuno, 41 – Jd da Granja – São José dos Campos

GRATUITO – Retirar ingressos com 01 hora de antecedência.

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 14 anos.

INFORMAÇÕES: 12 3941 – 7631 ou 997411801 (WhatsApp)

 

 

 

 

TEATRO

“Eu, Lélia” faz ensaio aberto em Suzano

A Cia Teatro da Cidade de São José dos Campos realiza ensaio aberto do solo “Eu, Lélia”, no próximo dia 27 de abril, às 20h, em Suzano, dentro da programação do encontro “Ventre em Teia: encontro de mulheres da cena”, promovido pelo Grupo Contadores de Mentira. Essa é a primeira vez que a companhia produz um solo, em quase 30 anos de existência. Com atuação de Andreia Barros e direção provocação de Antonio Januzelli (Janô), a montagem participou do Festival Periferias e do Festival Internacional de Teatro do Alentejo (FITA) em Portugal. As apresentações ocorreram nos últimos dias 10 e 11 de março de 2017, respectivamente, nas cidades de Sintra e Elvas.

O espetáculo “Eu,Lélia”, que ainda não tem previsão de estreia no Brasil, faz parte de um processo de trabalho da atriz Andreia Barros, uma das fundadoras da Cia Teatro da Cidade, com o ator, diretor, professor e pesquisador das práticas do ator, Antônio Januzelli (Janô). Inspirado na autobiografia “Vida e Arte – Memórias de Lélia Abramo”, o espetáculo, por meio da linguagem Narrativa, percorre a vida e carreira da atriz Lélia Abramo (1911-2004), e aborda o período da Segunda Guerra Mundial, quando ela viveu em Roma (1938-1950), a militância política na época da Ditadura e alguns de seus famosos personagens, como Pozzo (Esperando Godot, de Samuel Becket), Romana (Eles não usam black-tie, de Gianfrancesco Guarnieri), e Bibiana (minissérie O Tempo e o Vento, exibida pela Rede Globo).

Processo - A proposta da encenação é provocar uma reflexão sobre os fundamentos da arte de representar, as inquietações de um trajeto artístico e de um processo de criação, que não exige unicamente o resultado pronto, mas, acima de tudo, que permita viver profundamente o processo. “Nomeamos Laboratório Dramático do Homem-ator essa pesquisa que há mais de quatro décadas vimos aprofundando, seja no Curso de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo ou junto a grupos de teatro dedicados à investigação do ofício do Ator: o homem que exercita desalojar-se de si para tornar-se outro, outros”, explica Janô.

Lélia Abramo iniciou sua carreira aos 47 anos. Participou de 27 telenovelas, 14 filmes e 23 peças de teatro, tendo convivido com grandes nomes do teatro paulista, como Gianni Ratto e Sérgio Mamberti. Na TV é lembrada pela matriarca Januária Brandão na novela Pai Herói (1979), Mama Vitória em Pão Pão, Beijo Beijo (1983) e Bibiana na minissérie O Tempo e o Vento (1985). Todas produzidas pela Rede Globo. Sua militância política custou-lhe, porém, alguns anos de ostracismo na televisão, principalmente, quando assumiu a presidência do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões (SATED) do Estado de São Paulo, integrando a primeira chapa de oposição a ser vitoriosa desde o início da ditadura (1964-1985).  

 

Informações sobre o processo de montagem (12) 982483039 (Andreia Barros)

 

CAC

Teatro Bilingue para jovens e adultos

Estão abertas as inscrições para o curso de Teatro Bilíngue no CAC Walmor Chagas, em parceria com a Cia Paulista de Teatro Bilíngue.  Direcionada aos jovens e adultos que buscam desenvolver o inglês por meio de atividades artísticas, as aulas serão ministradas pelo ator Josivan Costa. Informações pelos telefones (12) 3941-7631 ou 99741-1801 (whatsApp) ou pelo site www.ciateatrodacidade.com.br


O objetivo da aula é estimular o participante a desenvolver a língua inglesa por meio de habilidades artísticas de improvisação e criação cênica. O curso terá duração de seis meses, caso haja pelo menos 10 inscritos, e prevê montagens de cenas como resultado das práticas desenvolvidas nas aulas.

Natural de Belmonte (BA), Josivan Costa é ator e produtor cultural, reside em São Jose dos Campos desde 1989. Iniciou no teatro como ator no então Grupo Teatro da Cidade, mantido pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo (1990/93), hoje Cia Teatro da Cidade. Em 2005, foi para Inglaterra e frequentou três módulos do Curso de Interpretação para Câmera, na Arts City Lit School, em Londres, onde participou de vários filmes.  Atualmente, está no elenco de Sonhos Roubados – Um Melodrama Dell´Arte, que comemora os 25 anos da Cia Teatro da Cidade, da qual foi integrante por 15 anos.

 

Serviço:

Aula Aberta de Teatro Bilíngue

Informações e inscrições: (12) 3941-7631 ou 997411801 (whatsApp)

www.ciateatrodacidade.com.br

 

 

CAC

Curso contribui para comunicação de profissionais

Pela primeira vez em São José dos Campos, a Cia Teatro da Cidade e a Pyra Arte e Empresa, de São Paulo, realizam o curso de “Comunicação e Expressão Eficaz”, com o ator, diretor, produtor cultural e consultor empresarial, Tadeu Di Pyetro. Destinado a profissionais que buscam melhorar e aperfeiçoar a comunicação no ambiente de trabalho e em público, o curso tem 30 horas/aula e teve início no último dia 10 de março, sempre às sextas e sábados. O curso conta com o apoio do Hotel Dan Inn de São José dos Campos.

 

O curso é composto de aulas práticas e por meio de jogos e dinâmicas teatrais, desenvolvidos para estimular a criatividade, comunicação, desinibição, desbloqueio, integração, consciência corporal, relaxamento autógeno, concentração, sensibilização, prontidão, entre outros, favorecem o autoconhecimento, a recuperação da autoestima, a redução de tensões, ansiedades e estresse.

Esse processo visa o esclarecimento e resolução de conflitos, abrindo espaço para uma melhor sociabilização, revisão dos padrões de cultura e saúde física /mental, promovendo através da consciência de si e do todo, a autogestão das próprias potencialidades, direcionando-as objetivamente para o dinamismo profissional e a realização pessoal. As aulas serão realizadas às sextas-feiras, das 19h às 22h, e aos sábados, das 14h às 18h.

Natural de São Paulo (SP), Tadeu Di Pyetro além de ator, diretor e produtor cultural, é consultor organizacional e de treinamento, formado em Administração de Empresas e Economia. Conta com larga experiência na área pública, foi diretor do CEPIN – (Centro de Programas Integrados) da FUNARTE – Fundação Nacional das Artes, diretor de Estudos e Monitoramento de Políticas Culturais -  da Secretaria de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, entre outros. Na área corporativa, desenvolveu diagnoses e aplicação de dinâmicas, jogos, treinamentos e cursos para instituições de ensino, ONGs, OSCIPs, e empresas, como Petrobras, Telefônica, Bradesco Corporate, General Motors, entre outras. Atuou em mais de 30 espetáculos e 20 novelas, entre elas “O Rei do Gado” e “Anjo Mau”, exibidas pela Rede Globo, além de vários filmes, como o longa-metragem “Inversão” (2007), e seriados, como “Gigantes do Brasil” (2015), exibido pela History Channel.  

 

 

TEATRO

Solo participa de festivais em Portugal

A Cia Teatro da Cidade de São José dos Campos participou com a nova montagem “Eu, Lélia”, solo com Andreia Barros e direção provocação de Antonio Januzelli (Janô), no Festival Periferias e no Festival Internacional de Teatro do Alentejo (FITA) em Portugal. As apresentações ocorreram nos últimos dias 10 e 11 de março de 2017, respectivamente, nas cidades de Sintra e Elvas. O workshop “O Trabalho Dramático do Ator”, ministrado por Janô e que faz parte do processo de montagem do espetáculo, será realizado nos próximos dias 24 e 25 de março, em Berlim (Alemanha), em parceria com as produtoras brasileiras Xica Lisboa e Telma Vieira.

A estreia do espetáculo no Festival Periferias e no Festival Internacional de Teatro do Alentejo em Portugal é fruto de parcerias da Cia Teatro da Cidade com os grupos Chão de Oliva (Sintra) e Cia de Teatro Lendias D´Encantar (Beja), responsável pelo FITA.

O espetáculo “Eu,Lélia”, que ainda não tem previsão de estreia no Brasil, faz parte de um processo de trabalho da atriz Andreia Barros, uma das fundadoras da Cia Teatro da Cidade, com o ator, diretor, professor e pesquisador das práticas do ator, Antonio Januzelli (Janô). Inspirado na autobiografia “Vida e Arte – Memórias de Lélia Abramo”, o espetáculo, por meio da linguagem Narrativa, percorre a vida e carreira da atriz Lélia Abramo (1911-2004), e aborda o período da Segunda Guerra Mundial, quando ela viveu em Roma (1938-1950), a militância política na época da Ditadura e alguns de seus famosos personagens, como Pozzo (Esperando Godot, de Samuel Becket), Romana (Eles não usam black-tie, de Gianfrancesco Guarnieri), e Bibiana (minissérie O Tempo e o Vento, exibida pela Rede Globo).

Processo - A proposta da encenação é provocar uma reflexão sobre os fundamentos da arte de representar, as inquietações de um trajeto artístico e de um processo de criação, que não exige unicamente o resultado pronto, mas, acima de tudo, que permita viver profundamente o processo. “Nomeamos Laboratório Dramático do Homem-ator essa pesquisa que há mais de quatro décadas vimos aprofundando, seja no Curso de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo ou junto a grupos de teatro dedicados à investigação do ofício do Ator: o homem que exercita desalojar-se de si para tornar-se outro, outros”, explica Janô.

Lélia Abramo iniciou sua carreira aos 47 anos. Participou de 27 telenovelas, 14 filmes e 23 peças de teatro, tendo convivido com grandes nomes do teatro paulista, como Gianni Ratto e Sérgio Mamberti. Na TV é lembrada pela matriarca Januária Brandão na novela Pai Herói (1979), Mama Vitória em Pão Pão, Beijo Beijo (1983) e Bibiana na minissérie O Tempo e o Vento (1985). Todas produzidas pela Rede Globo. Sua militância política custou-lhe, porém, alguns anos de ostracismo na televisão, principalmente, quando assumiu a presidência do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões (SATED) do Estado de São Paulo, integrando a primeira chapa de oposição a ser vitoriosa desde o início da ditadura (1964-1985).  


Mais Informações: Andreia Barros (12-98248-3039) – Janô (11-3862-3099)

 
1 2 >>

fique por dentro da sua melhor companhia assine e receba novidade por emails